Governo do Distrito Federal
20/05/22 às 12h59 - Atualizado em 8/06/22 às 12h22

Vítimas de violência, atendidas pela Secretaria da Mulher, terão prioridade de emprego no Ministério Público

Pelo menos 2% das vagas de serviços terceirizados no Conselho Nacional do órgão serão reservadas para as mulheres em situação de vulnerabilidade

 

Mulheres atendidas pelos equipamentos de acolhimento e atendimento psicossocial da Secretaria da Mulher do Distrito Federal (SMDF) terão a oportunidade de serem contratadas para ocuparem uma vaga na prestação de serviços terceirizados no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). O acordo foi publicado na edição do Diário Oficial do Distrito Federal de sexta-feira (20/5).

 

Com o objetivo de promover a independência financeira e a autonomia econômica de mulheres em situação de vulnerabilidade, vítimas de violência doméstica e familiar, a SMDF assinou um acordo de cooperação técnica com o CNMP, assegurando a inclusão delas como uma das prioridades na lista nas contratações do órgão.

 

Segundo o documento, que vale por dois anos, no mínimo, 2% das vagas ofertadas nos processos seletivos para postos de trabalho de serviços continuados e terceirizados do CNMP deverão ser reservadas para as trabalhadoras indicadas pela Secretaria da Mulher, uma vez que essas mulheres são acolhidas pela equipe da SMDF e terão identificadas as suas potencialidades e atual situação financeira.

 

Importante lembrar, no entanto, que o encaminhamento feito pela Secretaria não anula a necessidade de avaliação das habilidades das indicadas por parte do contratante. As candidatas passarão por um processo seletivo, realizado pelas empresas prestadoras de serviços.

 

A ideia é que, com o emprego, as vítimas de violência possam conquistar sua autonomia econômica e, assim, terem mais oportunidades de recomeçar a vida.

 

Quem poderá se candidatar?

 

A equipe da Secretaria da Mulher será responsável por elaborar uma relação de possíveis candidatas de acordo com as qualificações profissionais exigidas para o exercício da atividade ofertada. As indicadas deverão estar incluídas nos cadastros de mulheres atendidas em um dos equipamentos de apoio a vítimas de violência doméstica e familiar da Secretaria, como, por exemplo, o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (Ceam), a Casa da Mulher Brasileira e a Casa Abrigo.

Governo do Distrito Federal