Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
20/03/15 às 23h27 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Unidade Móvel vai a núcleo rural de Brazlândia

COMPARTILHAR

Além de atender mulheres vítimas de violência, oferece palestras e serviços à comunidade

Lunde Braghini Júnior
Da Ascom Semidh 

A Unidade Móvel de Atendimento à Mulher Vítima de Violência no Campo e no Cerrado esteve, na manhã desta sexta-feira (20), na Escola Irmã Regina, no Núcleo Rural Rodeador, em Brazlândia. Ao todo, os servidores da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos (Semidh) e dos órgãos convidados atenderam cerca de 300 pessoas. Várias mulheres entraram no ônibus em busca de apoio psicológico, orientações sobre os seus direitos e assistência social.  

Na parte externa, o coordenador do Pré-natal de Alto Risco do Hospital de Brazlândia, Luciano Augusto Bailão, falou sobre os problemas mais comuns das mulheres aos 30 ou 40 anos. Ele deu informações sobre como se manifestam e como se tratam o mioma, a “queda da bexiga”, o “corrimento”, o câncer do colo de útero, o fibroadenoma, o cisto e o câncer de mama.

A segunda-tenente do batalhão local do Corpo de Bombeiros, Andreia Cristina Arantes, do Corpo de Bombeiros Militar do DF deu palestra sobre primeiros socorros. Ex-professora, ele citou alguns “causos reais” de atendimento a vítimas de acidentes, enquanto explicava o que fazer em situações de hemorragia, tanto externa quanto interna, de infarto do miocárdio, de acidente vascular cerebral (AVC), entre outros.

A comediante Adriana Nunes, integrante da companhia de Comédia Melhores do Mundo, também participou das atividades. Ela protagonizou os momentos mais engraçados do dia, ao encenar trecho do espetáculo Mercedez, que satiriza o machismo.

Em seguida, a diretora de Defesa de Direitos das Mulheres da Semidh, Miriam Cássia Mendonça Pondaag, falou sobre as leis Maria da Penha – que coíbe a violência física, sexual, psicológica, patrimonial e moral – e a do feminicídio – que torna mais rigorosa a pena de crimes de gênero –, sancionada na semana passada.

A gerente das Unidades Móveis, Conceição Aparecida Nascimento, supervisionou as oficinas ministradas pelos parceiros, como a de confecção de artesanato em couro de peixe, que teve a participação de 72 pessoas – alunos da escola, seus pais e mães e professores.

Maíra Valadares, psicóloga do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) das Veredas, de Brazlândia, orientou 21 famílias sobre os benefícios socioassistenciais do GDF e fez o agendamento do Cadastro Único para Programas Sociais.

No campo do direito, as advogadas Terezinha Soares Bonfim, da Comissão da Mulher Advogada da OAB, subseção de Taguatinga, Chryssie Natali e  Judith de Sousa Rocha, ouviram demandas diversas.

Ao lado delas, os livros, gibis e revistas da Mala do Livro atraíram estudantes. Umas das três servidoras da Secretaria da Cultura presentes, Maria Aparecida Pereira da Silva disse que a atividade foi muito positiva. Além disso, servidores da Secretaria do Trabalho fizeram a emissão de carteiras profissionais.

José Leandro, morador há vinte anos de Brazlândia, considerou que “tudo foi legal, produtivo e criativo”. Ele destacou, principalmente, a qualidade das palestras relacionadas à saúde da mulher e a primeiros socorros.

Sérgio de Oliveira Souza, diretor da escola, também apoiou a ida da Unidade Móvel a Brazlândia. Para ele, “é fundamental quando ações como essa envolvem diferentes entidades e instituições porque o leque de opções de atendimento no mesmo local facilita a vida dos cidadãos”.

Ascom Semidh
3961-1782 e 9272-9702