Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
5/03/13 às 19h04 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Oficina de saúde da mulher proporciona momento para autoconhecimento

COMPARTILHAR

Nesta terça-feira, a Secretaria de Estado da Mulher realizou mais uma oficina “Saúde da Mulher: Autonomia no Corpo e na Vida”. Desta vez, a atividade aconteceu na sede da Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito e reuniu cerca de 20 mulheres associadas. Idealizada pela coordenadora de Saúde da SEM-DF e fisioterapeuta, Rita Polli, a atividade dá luz aos conceitos de empoderamento, saúde e sexualidade, propondo o diálogo com um olhar integral da mulher em suas capacidades física, emocional, mental e espiritual, em permanente interação consigo mesma, com os outros e em seus ambientes de convívio.

Com auxílio de uma reprodução de esqueleto humano em tamanho natural, são pontuadas diferenças do corpo do homem e da mulher, estimulando a reflexão sobre como a sociedade constrói certas formas de discriminação e opressão a partir de referenciais meramente biológicos.

As mulheres são levadas a um momento de reflexão estimulado por perguntas feitas pela palestrante acerca das suas capacidades e limitações. Ela questiona, por exemplo, se o fato de terem nascido mulheres e possuírem, aparentemente, menos força física que os homens pode ser considerada uma justificativa convincente para que os homens exerçam sobre elas o exercício do poder, da dominação. A resposta ouvida é sempre a mesma: não!

A secretária-adjunta da SEM-DF, Valesca Leão, participou do evento e destacou a importância do autoconhecimento das mulheres. Para ela, ter um momento para saber mais sobre o próprio corpo é, também, uma forma de empoderá-las. “Se reconhecer como um ser completo e perceber as suas qualidades são fatores fundamentais para manter a autoestima de uma mulher. E, quando a mulher se sente bem consigo mesmas, ela tem forças para lutar de forma mais aguerrida por seu espaço no mercado de trabalho e na sociedade”, avaliou.

A oficina de saúde já percorreu várias Regiões Administrativas do DF, levando um pouco mais de autonomia para meninas, mulheres e senhoras. Outras seis edições da atividade acontecerão somente durante o “Março Mulher”.