Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
23/11/12 às 16h39 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Mulheres da Vila Dnocs têm tarde de debate e reflexão

COMPARTILHAR

Nessa quinta-feira, 22, a Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal (SEM-DF) realizou mais um “Mutirão de Informação, Formação e Cidadania”. A atividade é um dos eixos de trabalho do programa Rede Mulher, que se caracteriza como uma política pública intersetorial, multidisciplinar e integrada, formulada sob a concepção do trabalho em rede. Desta vez, o encontro aconteceu na Vila DNOCS, em Sobradinho, e reuniu cerca de 80 mulheres.

 

A atividade promoveu o diálogo entre a comunidade acerca de temas voltados para a questão da mulher, como a difusão de informações sobre a Lei Maria da Penha e o apoio às políticas públicas que beneficiam as mulheres do Distrito Federal. O mutirão contou, ainda, com palestras sobre a igualdade de gênero, as várias formas de violência contra a mulher e os serviços especializados para atendimento das vítimas. Assuntos como sexualidade, machismo e patriarcalismo também estiveram na pauta dos debates.

 

Para a secretária de Estado da Mulher do Distrito Federal, Olgamir Amancia Ferreira, é importante levar o conhecimento a todas as mulheres do DF, inclusive às de regiões mais isoladas dos centros urbanos. “Os mutirões funcionam como instrumentos de divulgação das políticas públicas e de apoio à mobilização comunitária. Nesses encontros, procuramos dar a elas todas as informações para que elas percebam o verdadeiro papel delas na sociedade. Elas não podem ser obrigadas a desempenharem um papel de subserviência. Elas devem ser senhoras do próprio destino”, explicou.

 

A primeira-dama do DF, Ilza Queiroz, também participou do evento e ouviu as histórias de algumas participantes. “A maioria acha normal que, em um relacionamento, sempre fique claro que quem manda na relação é o homem. Mas poucos sabem que cercear o direito de ir e vir da mulher, controlar sua vida financeira e subvalorizar a sua imagem são crimes e devem ser tratados com o rigor que a lei exige. Além disso, o papel de influência que a mulher exerce sobre a família é indiscutível. Se ela está no caminho certo, tudo funciona maravilhosamente bem”, ressaltou Ilza Queiroz.

 

A diarista Luzia da Silva Oliveira de Sousa contou que já foi vítima de violência. Ela diz que eventos como este, que levam conhecimento à população, são muito importantes para empoderar as mulheres. “Nos dias de hoje, ainda existem muitas mulheres que não conhecem as leis, não sabem como se defender, que aceitam a agressão por muito tempo. Na minha cabeça já mudou muita coisas, já me esclareceu muito. Eu já passei por esse tipo de violência, não foi só uma vez. Passei com o primeiro marido e com o segundo. Agora, que estou mais esclarecida, foi que procurei os meus direitos. O que eu aprendi aqui vou repassar para minhas sobrinhas desde agora, porque passar por isso é muito humilhante”, relatou.

 

Histórico – A Vila DNOCS é comunidade situada na cidade satélite de Sobradinho, às margens da BR 020. Hoje, com mais de 3500 habitantes, a ocupação teve início nos anos 60, com a construção de 20 casas para servidores do antigo Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). Na década de 70, com a transferência do Dnocs para o Nordeste, muitos funcionários acompanharam o departamento, enquanto outros ficaram. A Caixa Econômica Federal passou a administrar o conjunto, e muitos dos imóveis foram ocupados por outras pessoas. Nos anos 90, com a implantação do Setor de Oficinas, foram iniciadas as primeiras ações para regularização fundiária da área, que nos últimos anos sofreu inúmeras invasões.