Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/03/13 às 19h02 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

GDF lança a segunda Carreta da Mulher

COMPARTILHAR

Nova unidade, com atendimento itinerante, vai dobrar a oferta de exames preventivos no DF

Um ano após lançar a primeira Unidade Móvel de Saúde da Mulher, o governador Agnelo Queiroz entregou, nesta sexta-feira (8), no Presídio Feminino do DF, a segunda carreta para realização de mamografias, ecografias e preventivos do câncer de colo uterino. Acompanhado da primeira-dama, Ilza Queiroz, ele inaugurou o novo serviço, que iniciou suas atividades atendendo as 675 detentas durante todo o dia de hoje.

De março de 2012 a 22 de fevereiro deste ano, a primeira carreta realizou 32.614 exames em 22 regiões do Distrito Federal. A nova unidade vai ajudar a ampliar o atendimento e suprir a demanda. “Lançar esse serviço em uma penitenciária é muito simbólico, pois mostra que a saúde, um direito do cidadão, está sendo levada a todas as mulheres. A prevenção é o melhor caminho, já que permite o diagnóstico precoce”, ressaltou o governador.

Com mais essa carreta, a expectativa é que a capacidade de oferta, de aproximadamente 50 exames diários, seja dobrada. De acordo com o secretário de Saúde, Rafael Barbosa, a Unidade Móvel de Saúde da Mulher mudou o cenário para a realização de exames no DF. “Não há mais fila para fazer mamografias. A carreta se consolidou como um instrumento que integra um conjunto de ações de assistência à saúde e beneficia as comunidades mais carentes”, avaliou.

Segundo ele, a terceira unidade já foi licitada e chegará dentro de 15 dias. “A carreta é o símbolo da qualidade na prestação de um serviço essencial, que atende nas cidades, no campo e no sistema prisional. Tenho certeza de que essa ideia servirá de parâmetro para todo o país”, elogiou a secretária da Mulher, Olgamir Amancia.

Atendimento – Ao todo, foram realizados aproximadamente 150 procedimentos no Presídio Feminino do DF. A prioridade foi para os exames de mamografia em mulheres com idades entre 50 e 69 anos. As detentas com mais de 40 anos, especialmente as grávidas, tiveram preferência na oferta de ecografias. Já o preventivo (Papanicolau) foi oferecido àquelas que estavam com o exame vencido ou que chegaram à penitenciária recentemente.

“Acreditamos que poucas mulheres necessitem do Papanicolau, pois temos uma equipe de Saúde Prisional, que realiza o procedimento regularmente”, explicou a subsecretária de Atenção Primária à Saúde, Rosalina Aratani.

A partir de segunda-feira (11), a segunda carreta atenderá no centro comunitário do Setor Oeste do Gama. A primeira carreta, que está no PAD-DF, no Paranoá, segue, na próxima segunda-feira, para Sobradinho II.

Melhorias – Durante o lançamento da segunda Carreta da Mulher, a diretora do Presídio Feminino do DF, Deuselita Pereira Martins, detalhou outros investimentos do GDF no local. As obras, que fazem parte do programa Acelera DF, anunciado ontem pelo governador Agnelo Queiroz, irão ampliar a penitenciária e melhorar o trabalho de ressocialização.

“Teremos mais dois módulos de vivência com capacidade para 400 mulheres. Eles abrigarão espaços para salas de terapia e sessões administrativas. Isso vai liberar o bloco 2, onde serão realizadas oficinas de capacitação e artesanato, por exemplo”, explicou a diretora. “Nossa meta é dar trabalho a pelo menos 90% de nossas mulheres”, destacou Deuselita.

O investimento nas obras será de R$ 12.858.138. “Vamos dar condições de trabalho e de estudo às internas. O recurso está assegurado pelo programa Acelera DF e vou cobrar o retorno das obras o mais breve possível”, enfatizou o governador.

Fonte: Agência Brasília