Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
16/06/16 às 21h00 - Atualizado em 29/10/18 às 11h14

Espaço de Acolhimento aperfeiçoa Serviço de Atendimento à Mulher em delegacia

COMPARTILHAR

Na quinta-feira, 16 de junho, a 31ª Delegacia de Polícia, em Planaltina, inaugurou o Espaço de Acolhimento à Mulher Vítima de Violência. A iniciativa poderá servir de modelo para as demais delegacias do DF aperfeiçoarem o atendimento realizado nas Seções de Atendimento à Mulher. Mais acolhedor, contando com sala de espera, sala de atendimento e também uma brinquedoteca, o espaço acolherá as vítimas de violência doméstica e também crianças e adolescentes vítimas de violência sexual.

Entre as providências tomadas pela delegada Jane Klebia Reis, destacam-se o remanejamento interno para haver pelo menos uma mulher em cada uma das quatro equipes de plantão, a qual está incumbida de atender a vítimas de violência doméstica; a integração de protocolos hoje usados na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, tanto para documentar fotograficamente provas que possam subsidiar imageticamente juízes na determinação de medidas protetivas quanto para facilitar a escuta das testemunhas (chamada “oitiva”) por meio de telefone.

A delegada  enfatizou a qualificação dos agentes para ouvir as crianças e os adolescentes vítimas de abuso sexual, cuidando para que não sejam “revitimizados”. A secretária adjunta de Mulheres. Igualdade Racial e Direitos Humanos, Vera Lucia da Silva, destacou a qualidade das mudanças realizadas no espaço. Essas mudanças foram operadas, segundo a delegada Jane Klébia, para mostrar que “a polícia também é acolhedora”.

Paradigmas

Cerca de 80 pessoas compareceram à inauguração do espaço. Única mulher à frente de uma secretaria de segurança nas 27 unidades da federação, a secretária de Segurança Pública e Paz Social, Márcia Alencar, disse que a qualidade da rede de atendimento à mulher existente em Brasília é hoje a melhor do Brasil. Na terça-feira, dia 14 de junho, Brasília foi escolhida para ser Capital Ibero-americana da Paz no biênio 2017-2018, em função de programas como o Viva Brasília – Nosso Pacto Pela Vida, que integrou gênero e raça como variáveis relevantes num modelo de segurança baseado no Pacto Pela Vida implementado em Pernambuco.

Uma das sete integrantes do núcleo de enfrentamento à violência criado pelo ministro da justiça, Alexandre de Moraes, em resposta a estupros e feminicídios, a secretária Márcia Alencar disse que “a mulher pode escutar de uma forma diferenciada determinadas problemáticas que são do cotidiano” e frisou: “Desculpem, é uma questão de gênero, sim”. Para ela, o governador Rollemberg também quebrou paradigmas ao entregar a pasta de esportes à secretária Leila Barros, outra área em que a ocupação das estruturas de poder é masculinizada.

Também estiveram presentes, a delegada Ana Cristina Melo Santiago, da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM); a vice-presidenta do Conselho de Direito da Mulher, Geralda Resende; a diretora da Casa da Mulher Brasileira (CMB), Iara Lobo Figueiredo; a diretora de Assuntos Intersetoriais, Deusa Mendes – representando a subsecretária de Políticas para Mulheres, Lucia Bessa –; a chefe do Núcleo de Atendimento à Família e aos Autores de Violência Doméstica (Nafavd) de Planaltina, Ádila Fabiana de Moura e Silva Leite;  o psicólogo Carlos Frederico Macedo Coelho, do atendimento psicossocial da CMB, entre outros servidores da Sedestmidh.