Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
26/06/13 às 14h27 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Encontro de Economia Feminista e Solidária chega a Ceilândia e Santa Maria

COMPARTILHAR

As Secretarias de Estado da Mulher e do Trabalho, em parceria com demais órgãos do GDF e entidades, realizam nesta quinta e sexta-feira mais dois encontros do projeto Selo Rede Mulher, que tem como objetivo promover o reconhecimento, a valorização e a autonomia socioeconômica das artesãs e trabalhadoras manuais do Distrito Federal.

Em Ceilândia, o encontro será nesta quinta-feira, 27, a partir das 14h, no auditório da Administração Regional da cidade. Em Santa Maria, será no Galpão Cultural, ao lado da sede da Administração Regional, a partir do mesmo horário. O evento é gratuito e aberto à comunidade.

A porta de acesso das mulheres aos benefícios do projeto são os Encontros de Economia Feminista e Solidária. Durante o ano de 2013, serão realizados 16 encontros. O primeiro encontro aconteceu no último dia 21, em Planaltina-DF, e reuniu cerca de 150 pessoas. Na ocasião, mais de 400 atendimentos foram realizados e 65 artesãs tiveram seus produtos registrados para um guia virtual.

“O objetivo do Selo Rede Mulher é promover o reconhecimento, a valorização e a autonomia das artesãs e trabalhadoras manuais do Distrito Federal. O trabalho será realizado de forma sistematizada e unificada para que o Selo, entre outras vantagens, sirva como ferramenta de reconhecimento dos valores agregados à produção das artesãs e de promoção de sua autonomia socioeconômica”, esclarece a Secretária da Mulher, Olgamir Amancia Ferreira.

As artesãs interessadas em participar do programa devem levar amostra dos principais produtos, que serão fotografados e posteriormente divulgados em um catálogo virtual, juntamente com a história de cada artesã. Nos encontros, as participantes também têm acesso a uma série de serviços e políticas voltados para elas, oferecidos pelas secretarias da Mulher, de Trabalho, da Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária, de Cultura e pelas demais instituições parceiras do projeto, como o IFB, o BRB, o Sebrae-DF, o Fórum de Economia Solidária do Distrito Federal e a Rede de Economia Solidária e Feminista.

O guia virtual servirá como instrumento de divulgação e promoção dos valores agregados à produção das artesãs. Além disso, servirá para a articulação da Rede Mulher de Comércio Justo e Solidário, a partir da qual a Secretaria da Mulher pretende aproximar as artesãs aos potenciais compradores dos ramos de comércio e serviços, numa parceria que envolve instituições como a Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF) e a Associação de Mulheres de Negócios e Profissionais (BPW).

Ainda nos encontros, empreendimentos coletivos de artesãs (associações, cooperativas e grupos informais) poderão se inscrever para concorrerem ao Selo Rede Mulher de Economia Solidária. Ao final do projeto, serão selecionados 50 empreendimentos coletivos, que terão seus produtos e suas histórias divulgadas em 10.000 catálogos físicos, receberão 2.000 etiquetas para promoção de seus produtos e terão acesso a oportunidades especiais de comercialização.

O Selo Rede Mulher está estruturado sob o programa Rede Mulher Artesã. Um dos objetivos principais deste programa é construir alternativas efetivas para a inclusão socioprodutiva das artesãs e trabalhadoras manuais, por meio de instrumentos que promovam a valorização de seus trabalhos e a aproximação com o setor de comércio e serviços para viabilizar o escoamento da produção.