Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
1/10/12 às 19h49 - Atualizado em 29/10/18 às 11h13

Dia de cultura e lazer promove reflexão sobre a desigualdade de gênero

COMPARTILHAR

Nesta terça-feira, 2, a Secretaria de Estado da Mulher do Distrito Federal, por meio da Subsecretaria de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, realiza o Dia do Cine Debate, em duas sessões (às 10h e às 15h), na cobertura do prédio da SEM-DF, no Edifício Azulão. Na ocasião, será apresentado o filme “Acorda, Raimundo”, que aborda as transformações de papéis, as novas configurações familiares com a mulher ocupando profissões que até pouco tempo eram consideradas exclusivamente masculinas.

 

A atividade proporcionará ao público a oportunidade de debater sobre os papéis de gênero; os direitos da mulher; a violência de gênero contra as mulheres e ampliar conhecimentos a cerca das questões de gênero e favorecer conscientização para equidade entre eles. Os participantes poderão ainda desfrutar de serviços de manicure, pedicure, cabeleireiro, maquiagem e designer de sobrancelhas.

 

Para a subsecretaria de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher, Silvânia Matilde, a atividade será um momento de reflexão sobre o papel da mulher na sociedade. “Muitas mulheres têm se visto em situações em que seus companheiros não dão a elas a oportunidade de conquistar espaço no mercado de trabalho e adquirir autonomia e liberdade dentro de suas próprias casas. Ao contrário disso, elas ficam presas aos filhos e à criação deles”, observou.

 

O curta “Acorda, Raimundo!” traz uma inversão dos papéis masculinos e femininos. O homem cuida da casa, das crianças, da roupa e da comida e a mulher trabalha em uma mecânica e chega tarde da noite em casa e bêbada, porque estava no bar com as amigas. As situações têm certa dose de humor e provocam a reflexão sobre diversas questões da relação entre homem e mulher que muitas vezes são consideradas “naturais”, mas são “sociais” e podem resultar em violência doméstica.

 

Sinopse – A proposta de “Acorda, Raimundo!” é inverter os papéis de homem e mulher, marido e esposa. É dada a situação hipotética, através do sonho de Raimundo, em que as mulheres saem para trabalhar, vão para a boemia, humilham e gritam com o marido, enquanto os homens cuidam das tarefas domésticas, ficam grávidos e respondem diretamente pela educação dos filhos. Trata-se de uma família operária, com seus conflitos familiares e o machismo, em situações em que as coisas acontecem ao contrário.

 

Em suma, que tal se as mulheres fossem para o trabalho enquanto os homens tomassem conta dos afazeres da casa? Esse é exatamente o caso de Marta e Raimundo, num contexto de família de classe média baixa. Desse modo, o filme de 1990 faz uma abordagem das transformações de papéis, as novas configurações familiares em que a mulher ocupa profissões que até recentemente eram tidas como de exclusividade masculina.

 

Com direção e roteiro de Alfredo Alves, conta também com as participações de Paulo Betti, como Raimundo, Eliane Giardini, como Marta, além de José Mayer e Zezé Mota.

 

Serviço:

 

O que: Dia do Cine Debate

Quando: 2 de outubro, às 10h e às 15h

Onde: Edifício Azulão (SIA Trecho 2, Lotes 2075 a 2115, Cobertura)

Informações: 61 3355-8094

 

 

 Carolina Sales | Thiago Gomide de Andrade